quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Portal de cravos


Por Germano Xavier

Olhar lasso o cavaleiro espia
o rumar longo que se desfia
na secura desse firmamento
que reverbera máculas
e sangra dores
de um corpo exangue.

Já não somos mais crianças
e crianças não mentem
o breu dos barcos da Vida.
Suas naus, seus remos
são águas coloridas borboletas
e suas possibilidades
de vôo...

Veja quão semelhante são os mapas
de se viver mundo nuvem escura
estrelazinha raro brilho
convulsão de ser,
de ser apenas homem,
varão nas vagas se achando
perdido na imensidão das plagas
sem altos rumos, rotas menores,
símbolos sinceros,
poder de mimetismo humano...

justo semblante de homem!

4 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Anxious Negotiation
by *plmegalo"
Deviantart

Andressa disse...

Os mapas são semelhantes? :)

Zélia disse...

Falei ali de barcos, vc repete os barcos aqui. Gosto quando vc escreve poemas...

Rafael Castellar das Neves disse...

Caramba...essa foi pra pensar...tô revendo aqui...ficou bom!!

[]s