domingo, 3 de março de 2013

Cânticos de morte (I)


Por Germano Xavier

Lembro-me bem
de quando morri pela primeira vez.
Meus dezesseis anos incompletos - grãos
de homem que germinavam em mim -,
e uma alma feminil.
Sem querer, sabe a lua,
vieram palavras tortas
...
Tortas palavras.

Lembro-me bem
de quando morri pela primeira vez.
Toda aquela ausência,
aquela angústia,
vazio.
Deus, quanta parede em meu quarto!

Nenhum comentário: