segunda-feira, 8 de abril de 2013

Cânticos de morte (V)


Por Germano Xavier

A lua
majestosa:
clarão de minha angústia
retraída.
Naquela noite
experimentei
o cálice de uma outra
falência,
mascarra de solidão e silêncio
em minha pele.
...
Cristal quebrado.
Era mesmo frágil
o vidro do nosso amor.

Nenhum comentário: