quarta-feira, 18 de março de 2009

Coto

*
Por Germano Xavier

para Elainy Cristina,
menina que corre atrás da banda.


alguma coisa fica
no ar perambula
preâmbulo ângulo agulha
alguma coisa atulha
unha ou velcro
de escafandro
alguma coisa mergulha
no mar na preamar
na restinga
no que resta
da cesta da sesta da sexta
alguma fome come
a própria fome e mesmo assim
o homem
de sapato furado
de caminho marcado
de barcos naufrágios de braços
fragilizados de tanto remar
ainda assim o homem
ainda assim
alguma coisa entulha
na calçada e impede o trem de passar
com a pressa partida
da partida
com a pressa sentida
do chegar
ainda assim a vida agride


* Imagem retirada do site Deviantart.

Nenhum comentário: