quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

A fantasia fantástica


Por Germano Xavier

Héracles perde para mim.
Forte sou eu, que sei me mascarar
e esconder e usar
de um disfarce torto,
posto que sou homem,
e homens fantasiam-se.

Forte sou eu, que sou
sempre um outro,
mas nunca o mesmo;
que me desfaço
em pedaços
e rejunto-me.

São tantas as fantasias,
mas acho a de palhaço
um luxo.

Nenhum comentário: