quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Inválida


Por Germano Xavier

Que estranho
da gente,
neste mar de mundo,
sempre a remar
remar,
num nada
tão profundo.

Nenhum comentário: