terça-feira, 6 de setembro de 2011

O grito


Por Germano Xavier

Alguém aqui vai ter de gritar,
e desfazer a melancolia da noite.
Onde estão as franjas d’alma?
...
Jornais lidos sobre a mesa,
e a palidez de toda a ignorância.
Pobres poetas disfarçados em grilos!
Onde estão vocês, vozes de tufão?
Ensinem-me a cricrilar e a reter
os excessos.

Palavras, palavras, palavras...
Seres que não saem de mim,
de desvios e obrigações.

Quem, entre os sapos,
irá coaxar?

Nenhum comentário: