quinta-feira, 10 de julho de 2014

O Silêncio das Agulhas (Parte XXIII)

*

Foi num dia assim como esse. Você me disse que precisava vir. Eu fiquei esperando a hecatombe acontecer. E aconteceu. Fui te ver bonita e com cheiro de cigarro nos cabelos. Eu amei principalmente o cheiro de cigarro nos cabelos. Você era pequena e grande ao mesmo tempo. Tinha as costas largas de muita vida. Eu era tudo, menos um indiferente à beleza que estava por vir. Percebi que você olhava sem ar. Respirar era uma oportunidade. Coração no punho da moto acelerada indicando caminhos e curvas. Você havia chegado de um mundo tão distante! De um mundo onde me viu nascer. Você era uma espécie de paz e logo partimos para a imensidão. Mas antes um tempo para respirar o que era nosso, só nosso. Havia um quarto e aquilo bastaria. Era uma espécie de quarta da morte. O objetivo era nos matarmos. Um acordo. Eu te mataria aos poucos e você me mataria aos poucos. Era o que tínhamos de fazer. Mas resolvemos poetizar a morte. Inventamos de fazer versos de amor louco. Eu te penetrei até te matar passados escusos. Você se abriu inteira para fechar impassíveis dúvidas. Tudo num dia assim como esse. Você me disse que precisava vir. Eu fiquei esperando a hecatombe acontecer. E aconteceu. 


*****


Faz tempo. Eu busco, nos escuros da memória, o que me fora tão importante um dia. E encontro. Uma paz de fim de trago. Eu fumava meus cigarros e você escrevia seus versos. Hoje, quase não fumo meus cigarros. E nem sei de seus versos. Sempre que me lembro dos dias em que estivemos juntos, sinto como se precisasse lembrar mais para não deixar morrer o que pensávamos ser amor. Eu sempre tive medo de amar demais. Você me conhece e sabe. E eu amei demais. E, por receio, tranquei todo o sentimento dentro de mim. Lacrado está para que eu não sinta de novo. Mas não há ordens de comando. O sentimento flui em lembranças como o barco à deriva que se esquece das ilhas que impedem seu trajeto de avanço.


Imagem retirada do site Deviantart.

Um comentário:

Anônimo disse...

Lindo!