domingo, 5 de outubro de 2014

Alma alongada

*
Por Germano Xavier

ignorar os relógios
que marcham para o infindável
submeter a máquina corpórea
ao apagamento dos passados sem valor
aprender a reconhecer
que o que marca o tempo
são os nossos brinquedos de subverter

por isso me alongo
dentro do espanto e do assombro
alma braços olhos desejos
e vou sem me preservar das divinais quedas
possíveis

prova de amor mesmo
é ir sem acordo
dado às curas sem prevenção


* Imagem retirada do site Deviantart.

Nenhum comentário: