quinta-feira, 23 de outubro de 2014

As árvores amorosas (Parte III)

*
poema para a mulher do Edifício Velásquez

Por Germano Xavier

grogue de vinho e tesão
olhei para a água da piscina
azulada

barquinhos de papel
bandeavam meus pensamentos

o ritual aberto sob a tanga de praia
sinal de pressão e febre por
bons meses

a capital com você foi mais sedenta

fumaceira e obscenidades públicas
de quarteirões

dedos dentro dos quartos iguatemis
pessoas na usina sem funcionamento
postes vigias em passes espíritas

o amor se escondia em armários
para jamais nos ser familiar
como a fuçar a caixa de batons
da prima em viagem

frio aprendizado de requentos


* Imagem retirada do site Deviantart.

Nenhum comentário: