quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

As árvores amorosas (Parte IX)

*

poema para a mulher da bocarra

Por Germano Xavier

por volta das três horas da tarde
na praça da cidade histórica os dois
elaboram a primeira noite de amor:

rio à frente
conversam sobre as quase-coisas
pensam em ir à padaria e pedir um suco
de laranja com gelo
sentem formigamentos nas mãos
beijam-se em anunciações de desejo
enroscam as mãos e os dedos
caminham para lugar algum

na noite tão esperada
resolvem correr caminho
para afugentar fumaças de charutos alheios

no retorno
zíperes são desatados
Montezuma coordena em tragos banais
o amor

o amor não tem solução


* Imagem: Google.

Nenhum comentário: