segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Os bons fins do amor

*
Por Germano Xavier

madrugada de um dia


não olhe para trás
somos atores de um futuro
inexistível a contar os quilômetros

venha de longe com pouca roupa
há contos ainda não escritos
sobre os olhos com fome

narrações sobre os abraços com pressa
de um momento de paz
(mesmo que a paz seja um demônio)

e na curva de encontro
caminhe comigo imaginando inimigos
afeitos ao andar de não-liberdade



Nero quer mostrar o fogaréu do alto

aqui do alto
a chama a pele queima
cidade espiritual atingida pelo fogo
mulher aberta



o poema com chocolate

voltarás para casa
com a intensa frase do que não cessa
a dizer um sol impróprio para amadores

há doce sobre a mesa
coma o instante

(num instante há amor)


* Imagem retirada do site Deviantart.

Nenhum comentário: