sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

A aquarela do instante

*
Por Germano Xavier

esta tua ausência
que escavo enquanto me descubro
que acho enquanto me afugento
é tão vermelha

e estas tuas vindas nem bem aparições
que só fazem aumentar a névoa lá fora
são tão cinzas

se quiseres me matar
já terias os segredos de degola
tão insinuados nas vestes do frio de agora

cá dentro um sol arde enfiado na masmorra do peito
tudo em branco & preto

se bem quiseres trocar esta dor filósofa
abrigada em mim com a piedade possível
sob teu sorriso minguante

em cores na rebarba deste breu que em vão me atenho
tu me farias o favor de estar
na inabordável aquarela deste instante


* Imagem: http://www.deviantart.com/art/a-rainy-day-99138305

Nenhum comentário: