sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

As árvores amorosas (Parte XII)

*
poema para a mulher húngara

Por Germano Xavier

em teu reino não fui rei
rainha de si sem o meigo termômetro
do tempo

tornei-me
ao segurar tuas mãos na orla do rio
o mais abominável dos homens

sem poesia
meus passos de abril
chegavam já em março
adiantando um peso travesso

(o solo das águas repintavam o breu
na claridade ideal)

sem coroa fui ser paladino
de corações mais apressados


* Imagem: http://www.deviantart.com/art/across-the-downhill-101319600

Nenhum comentário: