domingo, 22 de fevereiro de 2015

Ele ouviu Mozart para morrer

*

Por Germano Xavier

para Aurora Bernárdez e Julio Cortázar

libertas linhas vozeadas ao caminho
da dor que é perto,
da bruta dor que é longe
daqui e Aurora com ouvidos
para o pedido do menino que a amava.

“o Concerto para Clarinete em Lá Maior”
meu amor - segundo movimento -,
era um Mozart para a hora implacável.

imaginar que no quarto haveria,
a conduzi-lo em chegadas, um retrato dos dois
numa avenida parisiense em manhã outonal.

o som insano do verso musical
sem palavra para um homem de gatos pretos:

- Maga, você chegou?


* Imagem:  http://adligmary.blogspot.com.br/2014_08_01_archive.html

Nenhum comentário: