quinta-feira, 12 de março de 2015

As árvores amorosas (Parte XIV)

*
Por Germano Xavier

poema para a mulher das saias coloridas

havia o velho navio
ancorado sobre o asfalto

atrás de nós dois
um rio cheio de sol

naquele tempo presente
o desejo mais latente
esbarraria na amurada dos olhos

e foi assim que essa lenda
- a do amor apenas quisto -
dobrou os órgãos do sertão
e metaforizou-se em castigo


* Imagem: http://www.deviantart.com/art/icy-151827048

Um comentário:

Marisete Zanon disse...

Um poeta maior encontro aqui!!!
Parabéns! Amei teus poemas!A forma como escreves é audaciosa. Cítrica e ao mesmo tempo romântica...
Um abraço.