sábado, 18 de abril de 2015

O veneno

*
Por Germano Xavier

Estranho seria não te amar
(Ações)


[Manter esta mensagem na parte superior de sua caixa de entrada]
Para: amordesefazerchover@hotmail.com
Porção diária digital cronometrada fatiada retalhada revisitada deletada depreendida de amor
divide a fome comigo?

sim
a morte
a sede também

Conte-me. Cactos.
De que tantas maneiras pode uma mulher amar um homem?
De quantas hum homem amar uma mulher?
O homem, nesse caso, mostra o caminho?

seguiremos cantando

Traz o veneno
?
bebo sorrindo

roteador rotador diga o crime monotonia se mata com?
cometo chorando se cair na linha do trem não é o Mangaratiba
será por acidente O amor é mais trágico do que a própria tragédia?
O amor é a felicidade anunciada eu sei? quem sei?
e interceptada no caminho por sucessivos fantasmas
nunca chega a seu destino mas nunca para de andar.

o amor é uma economia de energia
uma ideia sobre a história
me engolir para sempre
corro para nós de olhos fechados
tu sabes, sou cachoeira (eu sei)
e não gotas de amor Nada me detém
quando o destino é você.

houve desl   ocamen to de a r?


* Imagem: http://www.deviantart.com/art/escapism-169223838

Nenhum comentário: