sábado, 4 de julho de 2015

Memórias do vago

*

Por Germano Xavier

lancei muitos olhares ao nada

um menino sem pernas para sempre
de vistas fixas
de horizontes móveis

longe
nas dobras do caminho
a figura de um paço vazio:
passos de malinconia

o passado esférico a me laminar cegamente
a carne - o medo foi um grande absurdo

em minha casa de ser a légua era um arrepio

quando a chuva descia pelas valas da rua
eu morava nos prenúncios: a esperança
dos quandos invadia meus ademais


* Imagem: http://www.deviantart.com/art/Red-Hands-and-Yellow-Sun-544056180

Nenhum comentário: