sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Danação

*
Por Germano Xavier


o que pode um escritor é pouco
o que pode um pouco pode tudo
a palavra é uma escola de universos
o texto é o osso do que pulsa
onde dentro de subgêneros musicamos
o preto & branco

o que pode uma narrativa é oceano
oficinamos (nela) nossa própria colocação
de ser - ser o melhor poema é pouco
o que pode o poema pode doer
pode não ter tempo
pode não ter espaço
e o que fica bom não passa de ideal

somos o dom
somos o dom que trabalha

o que pode ser tem aura de ouro
o que foi feito pode ser desfeito
como numa face a definir vários nãos

o que pode um verbo é muito
o que pode muito pode quase
(lembremos o vasto mundo, vasto vasto)
minha aptidão diz: - Escolha ser Rei.
então, curvo-me a escrever:

Oh, danação!


* Imagem: http://www.deviantart.com/art/Drowning-571791162

Nenhum comentário: