terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Carbono

*

Por Germano Xavier


não chegaremos sozinhos porque
no caminho sentiremos medo

louvaremos cantos de ficção e contos
de realidade viveremos e tantos meios
de comunicação nos darão letras
e culturas (des)costuradas

(direto éramos o desafio sempre difícil:
o dia amenizava-se na língua da mulher
e no abismo das alotropias da carne)

até fomos quem nos tornamos aos poucos
a cada passo uma lenta engenharia
a cada choro um letramento de remos

no que bebemos de seiva e fel e água
fizemos força em sombras
e uma dura escola:

a violência das curvas que tomamos
é toda uma teoria sem cautela

/uma nuvem em formato de seta
o outro que assistiu ao véu do sol
a própria natureza escandida
a flor nascida sobre o cimento/

não chegaremos sozinhos porque
em lugar algum esta relação impera:
a da solidão

mas existirá o medo de chegar porque
não sentiremos medo de partir


* Imagem: http://www.deviantart.com/art/Gliding-354869465

Nenhum comentário: