domingo, 15 de maio de 2016

Paraíso-quadro

*

Por Germano Xavier

para Adriano Ricardo, professor de espantos


"O paraíso é, antes de tudo, um quadro."
(Bachelard)


o que vi, vivo está.

vi o improvável 
no que de fato abandonei,
o invisível das figuras, dos motivos,
os mares em frente ao mar além-horizonte.

vi melhor quando sofri
outras maneiras de ver, de viver.
quando a palavra comum me tingiu
de amor, de angústia, de sonho.

com o instrumento dos meus olhos, 
vi o místico do visível. e nada disso 
teria valor se a solidão não me abarcasse,
irmã de mergulhos.

fui a hora literária, poeta 
de meus /des/encontros.

pois vi a fantasia, vi 
melhor o assombro na gana de ser,
de estar, ao sentir a minha música me acusar
solar.

optei pelo desvio das estradas por onde correm os meninos eternos,
os meninos que ainda saberão brincar,
poder e oração e voz tamanha.

experimentei o sagrado nos lábios avulsos da mulher,
máxima intenção íntima dos universos.

vi, portanto,
o que ignorei simplesmente,
o que jamais imaginei,
o mundo, o nada, o afã, o órgão último
de minhas forças,

a podridão de mim,
a melodia inolvidável,
o que a Graça tornou sangue, pulso.

vi, enfim, o que passou, o que é,
o que será e, juro, vi tudo pela primeira vez.


* Imagem: http://www.deviantart.com/art/quadro-283482411

Nenhum comentário: