segunda-feira, 11 de julho de 2016

É o teu seio o mar que vejo

*

Por Germano Xavier


afogados
os rumores de espera
são teus lábios assim
teóricos afrontamentos
ou raios repartidos
um ventre navegado
eu marujo sou

teus impérios
em tuas ilhargas

meus remos mercantis
sem patéticas promessas
o teu lastro

teu lastro


* Imagem: http://www.deviantart.com/art/Porto-VIII-101306483

Nenhum comentário: