quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Num dia em que o sol não veio muito

*

Por Mailda Dias Braz

para o Germano que conheci


num dia em que o sol não veio muito
(ele prefere nuvens e sombras)
e que o mar estava calmo
(ele prefere o silêncio)
numa sexta-feira treze
(ele prefere o mistério)
nasce um menino feito de sonhos
poesia e inquietações

seus silêncios e suas
expedições para si
e para o mundo das palavras
logo o fazem peculiar
(entre árvores, ele chove)

um sujeito quedo
(conheceu paraísos infernais
e infernos paradisíacos)
poeta em viagem
(sem rumo) em busca
de palavra-significados
(ele prefere sentir)
em constante versejar
para estar
e viver a palavra-sabor-poesia

ele rabisca papéis
e as palavras escrevem o seu destino
com tintas de amor
na palma da mão do mundo
ele é chuva serena

poeta e poema
ele é palavra em dor
(prefere ir a não chorar a volta)

ele faz sentidos
e cria religiões
o segredo de seu olhar
é olhar mais fundo
ele é verde-musgo
é musgo
ele é caos
um astro em contramão
um poeta


Imagem: http://www.deviantart.com/art/Black-Sun-570406528

Nenhum comentário: