quinta-feira, 5 de outubro de 2017

A sutil diferença



Por Germano Xavier



não é importante o gole dos brilhos
nem a maquinaria frígida dos alumínios.
não é importante a qualidade do branco pó.
só o que basta está no que cabe em uma tala
de cheiros e cores e.

com o sabor provável
vem a febre certa da cura, fim sutil
feito de esquecimentos e acreditares

– o gosto
avança e junta nossa força
numa coragem de ânimos.

é a gota,
mínima em sua transformação, na água
a vida, o pulso, o movimento.

é o naco,
silêncio imorredouro
das terras, o real domínio das precisões,
tostão dos muitos que se querem em prova
ou que existem ou que revolvem.


* Imagem: https://pixabay.com/pt/farm%C3%A1cia-farmac%C3%AAutico-2066065/

Nenhum comentário: