quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Tapete mágico e outros poemas



Por Germano Xavier


1 | Tapete mágico


o que nos falta, meu bem,
é um relógio quebrado,
um mundo mais simples
e um arsenal de eternidades,

ou talvez
apenas precisemos
de um tapete mágico
e um bocado de inocência.


2 | Morte


violência, silêncio,
assombro ou selvageria.

nada encobre a beleza
(e o horror)
de que tudo terá fim.


a morte
e sua inquestionável divindade,
não a desconhecemos.
por isso,
ardemos sem paz.

mas os poetas,
em algum ponto
entre a palavra
e o embevecimento,
esquecem de morrer.


3 | Resistência


mas se amamos
é porque aprendemos
a sepultar as dores

nas encostas dos dias,
nas vielas do tempo,

a deixar que o vento
reconstrua a estrada
acima dos corpos.


4 | A priori


amo você a priori
(a despeito de cada espinho de minha alma-cacto),
amo você enquanto palavra,
enquanto mulher,
enquanto líquido.

sobretudo amo você enquanto
penumbra
(matéria abstrata de nós).

você enquanto ausência é pedra e mar.


5 | Lado


se encantado seguirei,
como na música,
ao lado teu,

na poesia
seguiremos
lado a lado,

porque o lado, amor
(também),
pode ser dentro.


* Imagem: https://pixabay.com/pt/tapete-macro-detalhe-fio-2350549/

Nenhum comentário: