domingo, 18 de fevereiro de 2018

A mesma tarde de domingo



Por Germano Xavier



o que dizer do incansável não-dito,
da fagulha inapagável, do destino nunca escrito?
tudo ainda é tão pouco, quando é você que vem depois.




+ comentário da leitora Isabela Rohn, de São Paulo, sobre meus últimos escritos:


Teus últimos poemas estão diferentes. Parece mais feroz, mais livre. De você mesmo. Quase indiferente. Como se a mensagem fosse externa a você (maior do que você). Visão mais ampla, mais revolta, mais fúria. Você priorizando a poesia e não o teu umbigo. Isso é ótimo. É você, mas como se fosse um outro ser nascendo em você. Um quase indiferente (ao que te obrigam... ). Por isso mesmo mais autêntico. Um mais consciente das lacunas, dos vazios, da miséria de (quase) tudo. Um mais duro e preciso. Quase um desconfiado, cético e realista. Eu queria chamar apenas de sabedoria (que vem com os anos, ou com as dores, mas não é apenas isso). Poderia chamar de desapego, crescimento, maturidade. Mas também não é apenas isso. Um conjunto de coisas, de descobertas que te afetam. Sei apenas que é um alargamento de percepção e que isso não vem facilmente. Não sei o que viu ou do que abriu mão para chegar aqui ou esteja chegando ainda, mas sei que não está pior. Está evoluindo (perdendo algumas certezas e/ou ilusões). Mas ganhando consciência e autoconfiança. Acredito que também expandindo a solidão (mas isso também não é fortaleza?). Sei que está mais forte e mais realista (Não quero que perca a fé e até certo misticismo que tens, mas, assim como Borges, quero que sejas racional e humano. Um olho-além, conhecedor dos abismos e das belezas, sobretudo, sobrevivente, resistente). Porque no mundo estamos sozinhos. Sabemos o que somos e/ou o que não somos. E também não sabemos nada de nada. Mas ainda assim estamos aqui e há poemas de Amor. Poderia ouvir de qualquer um que não há. Mas nunca de você. Você é o poeta do Amor.


Muito obrigado pelas palavras, Isabela. 
Sigamos!




* Imagem: https://pixabay.com/pt/registro-fonogr%C3%A1fico-vinil-%C3%A1udio-3148686/

Nenhum comentário: