domingo, 22 de abril de 2018

Descarrilada, a voz, régua para o tino



Por Germano Xavier


juízo não me deram para o Amor.
amei na planta a mulher-semente,
amei a santa, a mulher demente,
amei sem manta e a espécie impura,
a ralé que andou comigo a toda pressa,
o nome frequente em meus silêncios.

apoio típico não recebi no andar só
| o Amor nem sempre está |, e suei
e cobrei do mundo as pedras usadas
pelas quais passei - sentidas infecções
(amorosas).

dizer que não sinto saudade
| a descarrilada, a da tua voz, a antiga
como um zepelim | é dor

oceânica.

haverá no cassino desse mar
algum jogo cúmplice | do amar |,
algum fator | de Amor | de atraque ou de fico,
numa tal medida náutica de insistos

longe dos trilhos.
haverá?



* Imagem: https://pixabay.com/pt/ferrovia-transporte-ferrovi%C3%A1rio-3129847/

Nenhum comentário: