sexta-feira, 22 de junho de 2018

Um manuscrito no bolso



Por Germano Xavier


somos penumbras
e pesares

mas temos limo
e lema

(entre farpas e dilemas)

somos um trem na contramão
sem musas ou medusas

almas peculiares
em resistência pacífica
contra as horas, calendários
e outras frivolêscencias

em desobediência civil
contra os deuses do destino
e demais entidades | fictícias |
igualmente pretensiosas

nossa sorte é que somos imunes ao Tempo
e a Poesia, meu bem, 
nos (des)contaminou de (ir)realidades


* Imagem: Cristina Seixas, Portugal.

Nenhum comentário: