segunda-feira, 2 de julho de 2018

Respiros



Por Germano Xavier



a | Céu azul


essa gente superestima um céu azul

eu gosto do cinza
do melancólico
do dilema

acho belíssima a chuva
o drama, a tristeza
no poema!



b | Destino


digo ao poema:
voe,
leve embora
o meu destino

ele, mais sábio
e amigo, dirá:

oras, por que o medo?
é inofensivo o destino
está aí apenas
para ser despercebido



c | a(PROPRIA(da)mente


trabalhou feito um burro de cargas
na roça
na construção civil
(só não passou fome!)

no final, casa própria
família própria
velhice própria

só para não correr o risco
encomedou
(pagou à vista)
um belo caixão próprio



d |


para brincar de verdade. ou destruir inocências:

romantismo pós-moderno

fiquei pensando no amor
cansei
e fui pensar nas contas a pagar que
(apesar de igualmente irritantes)
não desaparecem com a força do pensamento




e | Infância


dente de leite
dente de ouro

um para a fada do dente
o outro para o pirata indecente



f | Incoerência


mas se o Papai Noel
fosse coerente

ao invés de distribuir presentes
ele passaria o chapéu


* Imagem: https://pixabay.com/pt/est%C3%A1tua-m%C3%A1scara-de-g%C3%A1s-respirador-918889/

Nenhum comentário: