quarta-feira, 19 de maio de 2010

Solto no tempo


Por Germano Xavier

o amor volta desesgotado
como num céu só azul
tomado pelo branco fundo
e como refúgio sem pragas
um pássaro negro voa.

aceita o convite do vago
e enche o vão,
bota em baque a explosão
presa no disparo.

pooowww!
quem cairá será homem?
ninguém regressa de uma morte
mesmo sem queda.

quem ama impele a deixa
e deixa
o passado solto no tempo.

5 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

" still alive
by ~buhoazul"
Deviantart

Letícia Palmeira disse...

Seus poemas (até os mais recatados) deixam um rastro libertino. Leio muitos poemas por dia. E de muitos poetas. Mas a leitura dos seus é sempre diferente. Talvez por serem maquiados de outra coisa. Mas sempre deixam visíveis algumas dores e a voz melancólica de quem os escreve.
Gosto sempre.

HSLO disse...

Brilhante, amigo Germano.


abraços
de luz e paz


Hugo

Maris disse...

Que bonito, rapaz!

Juli disse...

Fantástico seu blog!...