sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Imaginaturas de reinícios

*
Por Germano Xavier

sobre a lembrança pousados estão
meus olhos

você triste não é você
você mesmo colorida mas triste
não é você aquela menina antiga de vida
de vida sem vendas no olhar
menina sem laços de fita não
não é você

Cine Dunas, faróis espocados na artificialidade
luminosa, o firmamento do lado esquerdo
do sonho de ser o próprio filme,
um romance com ares mexicanos,
a lã cor de vinho que te cobre
os brancos seios de onde bebo

o mar em fúria
chão em sépia
teu sorriso se abre bem nos olhos
lá onde me cometo

vi quando você me viu
naquela rua de nos engaiolar
em reformadas asas

você triste nunca mais
você mesmo sem dia bom mas triste
nunca mais aquela menina rasteira
árvore sem copa

você soltou teus cabelos
permitiu que brilhassem como feixes prismáticos
caminhos de me dar no escuro do teu silêncio
o mamilo os grandes lábios generosos os dedos
sob a renda em comunhão

os bens de amar


* Imagem retirada do site Deviantart.

2 comentários:

PERSEVERÂNÇA disse...

Germano querido, feliz sexta-feira!
Texto intenso, gostei.
Abraço
Nicinha

Daniela Delias disse...

Versos de beber, versos também generosos :)