quarta-feira, 7 de maio de 2014

Literatura, a melhor das viagens


UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO
FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE PETROLINA UNIDADE DE ENSINO DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO

LITERATURA – A MELHOR DAS VIAGENS
ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV (RELATÓRIO)

PETROLINA – PE
2009

GERMANO VIANA XAVIER

LITERATURA – A MELHOR DAS VIAGENS
ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV (RELATÓRIO)

Relatório de estágio apresentado à disciplina Estágio Curricular Supervisionado IV, como um dos requisitos para a aprovação no 8º período do curso de Letras/Português e suas Literaturas.

Professora orientadora: Yolanda de Almeida.

PETROLINA – PE
2009

1 – O DIA A DIA NO ESTÁGIO

1.1. A APRESENTAÇÃO DO ESTAGIÁRIO


No presente relatório, minha intenção é realizar a apresentação das experiências vividas e compartilhadas durante a realização da disciplina Estágio Curricular Supervisionado IV, desempenhadas na Escola Padre Manoel de Paiva Neto, localizada no Bairro Jardim Amazonas, no município de Petrolina, Pernambuco.

Descreverei parte da vivência por mim desfrutada, desde o contato inicial com a escola, relatando, a posteriori, todo o decorrer da experiência efetiva em sala de aula, para depois poder mostrar o saldo de toda a prática processada no ambiente de sala de aula. Por fim, concluirei com um pequeno desfecho acerca do que aqui foi descrito.


1.2. CAMINHO PERCORRIDO PARA A REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO


Na segunda-feira, 05 de outubro de 2009, dirigi-me à escola escolhida (Escola Padre Manoel de Paiva Neto) para a realização do estágio, com o objetivo de apresentar-me à direção daquela instituição de ensino. Fui cordialmente recebido pela diretora adjunta da escola campo, senhora Graciene Martins de Souza, que me encaminhou à professora de Língua Portuguesa e Literatura da 3º série do ensino médio, do turno matutino, senhora profª Quitalide Socorro Bandeira Honda.

Na mesma manhã, a professora supervisora teve uma breve conversa comigo. Relatou-me acerca do desenvolvimento individual de sua turma de 3ª série do ensino médio, segundo sua percepção e, também, falou-me de alguns alunos em especial. Apresentou-me seu horário, além do conteúdo programado para ser trabalhado na unidade e também os conteúdos que estavam sendo trabalhados na turma, além dos que eu deveria aplicar no decorrer do meu estágio.


1.3 – DESCRIÇÃO DAS EXPERIÊNCIAS DE SALA DE AULA


Na primeira semana, surpreendi-me sobremaneira. Como é diferente entrar numa sala de aula como professor. Cada nova experiência como professor/educador é um universo completamente novo que temos de enfrentar. Ser aluno faz parte de minha personalidade, mas ser professor é diferente. A cobrança é sentida a todo o momento, a responsabilidade é outra, a postura tem de ser outra.

No dia 05 de outubro de 2009 fui apresentado ao 3º ano do ensino médio, à escola, a boa parte dos professores e a alguns funcionários. Confesso que me senti muito confortável. O motivo do conforto foi porque todos os alunos demonstravam interesse em querer me conhecer, conhecer o “novo professor”, e tudo conspirava a meu favor...

Na quinta-feira e na sexta-feira, eu já me sentia um pouco mais à vontade. Já conseguia tirar dúvidas de alguns alunos, manter algumas conversas. Porém, não me sentia bem quando alguns alunos começavam a conversar.

Já na sexta eu era o responsável pela turma. Tinha reservado a biblioteca e acertado com os alunos que a aula da próxima segunda-feira seria lá. A biblioteca da escola é razoavelmente ampla, tem um bom acervo e a professora que trabalha como bibliotecária é muito atenciosa.

Deve-se, também, ressaltar que a escola Padre Manoel de Paiva Neto dispõe de uma boa estrutura física e material. Com salas de aula bem amplas e arejadas, uma boa cantina, área de sombra, quadra poliesportiva, sala de professores confortável e secretaria bem estruturada. Os professores e alunos têm acesso a uma sala de vídeo bem confortável e equipada, além da já citada biblioteca. A escola Padre Manoel de Paiva Neto tem um papel de grande relevância para o bairro no qual está inserido.

Voltemos a minha primeira aula ocorrida na biblioteca. Essa consistia em o aluno escolher um livro qualquer e ler. No dia seguinte, pedi para os alunos recontarem, de forma escrita, as histórias lidas para depois serem repassadas para o restante da sala, agora de maneira oral e depois em formato de mural. Surpreendi-me com os resultados, as atividades foram desempenhadas com muito bom gosto.

Consegui me adaptar bem à escola, aos alunos e à professora supervisora. Esta sempre estava disposta a me ajudar em tudo. O 3º ano sempre esteve disposto, atento, por isso não tive muita dificuldade com esta sala, embora haja sempre um ou outro momento de maior desleixo por parte dos alunos. A faixa etária dessa turma está entre os 17 e 21 anos.

Tudo o que a professora supervisora pediu para eu trabalhar com sua turma de 3ª série do ensino médio penso ter conseguido trabalhar com afinco. Baseei-me no livro didático que a mesma me forneceu, embora eu não tenha deixado de usar outros livros e referências que conheço.

Os assuntos trabalhados em sala de aula são os que seguem abaixo:

- Pré-Modernismo;
- A Semana de Arte Moderna;
- Modernismo (Geração de 30);
- Modernismo (Geração de 45).


1.4 – RESULTADOS ALCANÇADOS


O estágio supervisionado IV é um momento oportuno para realizar experimentos na prática educativa, e, por assim ser, de extrema importância, pois proporciona ao aluno-estagiário a aferição do exercício docente e a interação do mesmo com a comunidade escolar. Além de atender a uma exigência normativa do curso de Letras – Português e suas Literaturas, o estágio curricular supervisionado promove a aquisição de vivências mil no que diz respeito à prática pedagógica.

Considerando a Literatura como elemento fundamental na formação integral do indivíduo-aluno, faz-se de extrema relevância suscitar nos estudantes o gosto e o desejo pela leitura, assim como tomar conhecimento sobre a vida e obras dos autores estudados, conhecer e realizar análises de obras de autores em questão, fazer análises da linguagem, reflexões diversas, tudo no intuito de ampliar horizontes e construir conhecimentos, através da leitura de diferentes gêneros textuais, como a prosa e a poesia.

A literatura no ensino médio tem a função de desacomodar o aluno, despertar nele o senso de criticidade, do mesmo modo como romper com a alienação, já que ler não é apenas decodificar signos gráficos, mas uma atividade que demanda muitas outras faculdades do homem-ser-aluno.
De acordo com esta perspectiva, faz-se oportuno reforçar a idéia de que se deve selecionar diferentes tipos de textos, literários ou não, que projetem a vida contemporânea do local onde os alunos estão inseridos, como de outros lugares e tempos, os diversos pontos de vistas, estimulando discussões, reflexões e confrontos entre os alunos.

O ambiente acadêmico é de uma riqueza cultural, intelectual e humana ímpar. Mas, nós que nos preparamos para a vivência dos desafios da sala de aula, perguntamo-nos constantemente, ao longo dos quatro primeiros períodos, como a teoria adquirida na faculdade se reflete, de fato, na escola. A academia não nos prepara para a sala de aula, tudo que recebemos na universidade é teoria, a prática chega na troca de experiências, entre nós estagiários e os alunos da escola-campo. Aí está a importância inquestionável do estágio supervisionado proporcionado pela instituição na qual estudo – UPE/Campus Petrolina.

Não sou mais o mesmo depois deste estágio. Nele eu pude sentir e fazer parte de um ambiente escolar, como professor. Ter acesso a um Plano de Desenvolvimento Escolar, saber dos objetivos da instituição escolar que me concedeu o estágio, a metodologia que a norteia, as linhas pedagógicas, entre tantas outras coisas.

Consegui contar com a experiência e capacidade de uma professora preocupada com seus alunos, com a formação do ser humano, com a formação do cidadão. A professora supervisora aceitou-me como seu estagiário, e teve um papel importantíssimo no decorrer do meu estágio, ajudando-me em estratégias de vivência dos conteúdos em sala de aula.

Como pude aprender nas preparações de aula, não só em termos de conteúdo, mas também na vivência do espírito profissional, cidadão! Saio deste estágio mais humano porque convivi com pessoas, em suas limitações, habilidades, atitudes. Saio com maior segurança quanto a minha formação, quanto a minha capacidade de ser útil para a sociedade na qual estou inserido.

CONCLUSÃO

O ingresso na universidade também proporciona a nós, universitários, uma entrada no mundo de teorias que revolucionaram e revolucionam diversos campos do conhecimento mundial. No entanto, inquietei-me enormemente, nos primeiros quatro períodos do curso de Letras/Português e suas literaturas, quanto ao repasse do conhecimento adquirido por mim na faculdade: como eu repassaria o meu conhecimento em uma sala de aula?

O estágio tem objetivos que vão desde proporcionar ao aluno da Universidade de Pernambuco/Campus Petrolina a realização de importantes etapas para a sua formação profissional, colocando em práticas teorias que são aprendidas nas aulas da universidade, até a possibilidade de o aluno-estagiário entrar em contato com a realidade da escola-campo, proporcionando ao aluno a apreensão e compreensão de aprendizagens que só são possíveis adquirir na labuta diária de uma escola.

A sociedade, por sua vez, na categoria do alunado, acessa assim os conhecimentos que os universitários adquiriram no ambiente universitário e em toda a sua vida. As experiências vividas durante o Estágio Supervisionado IV, possibilitaram-me sair mais humanizado, isso porque convivi com pessoas que têm experiências de vida diferentes da minha, têm outra realidade comunitária. Aprendi muito no convívio com a professora supervisora, com os funcionários e com outros professores. Saio com novos laços de amizade e com uma nova forma de participar da educação, agora como educador.

Portanto, ganham todos os envolvidos: a universidade porque tem a possibilidade de melhor formar seus alunos, os alunos da universidade porque ganham conhecimentos vivenciando a realidade de uma escola-campo e a sociedade por receber os conhecimentos mais atuais da área da educação aplicados em suas escolas.

2 comentários:

Anônimo disse...

deve ter sido muito enriquecedor esse teu estágio!

Controvento-desinventora disse...

...em que onda?
andas?
onde?...Bandeira bêbado