terça-feira, 6 de maio de 2014

Verbopróprio


 Por Germano Xavier

claro enigma
teu laço de fita,
minha cela

faremos amor de mar,
a púrpura cor
em sede eterna

lambuza minha boca
com a carne do teu
corpo! comer-te

em pétalas, o ar!

dilucular a tez
em brasa e fêmea
da tua chama

tu'acéquia em molhos
a ceder a mama
em goles e nauta

traço teu casto
portulano
em angélicas ondas,

mar alto...

2 comentários:

Controvento-desinventora disse...

Deixa o mar invadir o porto...Um brinde a essa onda que borbulha em chama!!!!

Dani Gama disse...

Tão puro e tão quente
cheio de amor, tesão e alma...
mar alto, mar altissimo!

Deliciosamente...