terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Silêncio


Muito cuidado, o fogo está apagado.
Ainda é cedo,
pode ser tarde demais,
muito cuidado, lume morto.
O fogo está apagado,
mas há um incêndio em todo fogo apagado,
há um incêndio!

Labaredas, chamas combustivas,
calor, matéria inflamável...
Muito cuidado, você, que o fogo está apagado!
Língua de fogueira, fogão, lareira, fósforo, isqueiro,
quem riscará? Quem se arriscará?
Pirotécnico artifício, queima em artilharia, energia e ardor,
dor somente, entusiasmo ou espasmo, excitação com brilho,
fulgor, fogacho, focus ignífero.

Escândalo, padre nosso, o fogo está apagado!

- Silêncio – pede o homem na gare Saint-Lazare.
- Silêncio – clamam os partícipes d’A Cruzada Santa, do Dario Fo.
- Silêncio – insinua o cenho de Madalena, a pecadora.
- Silêncio – reclama o sono de Maria Nys Huxley.

Muito cuidado com o fogo apagado,
há sempre um incêndio previsto para o amanhã.

11º poema-imagem/imagem-poema da série Preto-e-Branco:Poesia.
Fotografia de Daniela Gama.

5 comentários:

Controvento-desinventora disse...

Há um fogo oculto, no desejo de apagar o incêndio, que habita no estalar silencioso da nossa fogueira de Ser.

Júllio Machado disse...

"Atenção artilheiro !
Três salvas de tiros de canhão
em honra aos mortos da Ilha da Ilusão,
durante a última revolução
do coração e da paixão !
Apontar à estibordo...
Fogo !!!"
Zé Ramalho

Lisa Alves disse...

Fogo apagado, não é fogo findado. Nem mesmo o mar é capaz de deter um vulcão.

URBAN.GO disse...

Esse fogo apagado ... que nunca apaga mesmo, não é?!!
Quantos existem por aí, quantos temos ... em nós!
Abraço, fica bem.

Dani Gama disse...

Fogo apagado hoje é fogo aceso amanhã, ora no silêncio, ora no grito.

A série está ficando boa,hein! Abraços, Gê.