segunda-feira, 4 de julho de 2011

Caxixi agogô roncô, neguinho, vai


Por Germano Xavier

vai neguinho
desce o morro pra cidade santa
traz tua manta
escura e mancha o que for
incolor neguinho vai
ataca a classe e toma banho de mar
mar que é mais teu
mar que é mais teu
vem neguinho vai
de cima pra baixo sobe na vida
vem voar vai voar
teu céu
vem ser verso de Solano
vem imerso vem avesso vem excesso
vem sem essa de não ser
vem com essa de querer
vem neguinho vem
vem buscar o que é teu
chama a tua gente e faz da gente
espelho e sangue teu
chega de sofrer de beber a água amarga
chega de não ser neguinho chega
mais pra perto vem incerto vem
certo que você pode e vai também
vai neguinho vem


"Lincharam um homem/
entre os arranha-céus/
(li num jornal)/
procurei o crime do homem/
o crime não estava no homem/
estava na cor de sua epiderme..."
(Solano Trindade)

2 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Mr. Neguinho by ~WayneGomes"
Deviantart

Artes e escritas disse...

Um pensamento nosso para você: _Em Curitiba somos iguais: portugueses, poloneses, japoneses e afrodescendentes e somos todos diferentes e amamos uns aos outros. Um abraço, Yayá.