terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Canto de oaristo distante


Por Germano Xavier

Eu te busco nesta noite quente,
não para afugentar teu sono,
mas para olhar teus olhos
na inexata profundidade que quero.

Eu te burlo, querida,
e não te peço licença. Aliás,
ao que é árvore me lanço verde
e me sustento no que é sorriso,
apesar de tantas paredes.
Os minutos de hoje não foram
os de ontem, enegrecidos diante da turba
da indiferença sadia
que passava em nossa frente.
Os minutos de hoje são os instantes
do amanhã solar, cremoso e em especial reserva
refrescante e bloqueadora.

Por vezes me lanço,
âncora,
ao teu recinto de águas,
e sinto o líquido anímico de tuas puras
distâncias...

Como é bom senti-la, querida,
mesmo se tarde for
este meu apego em delírio e gozo.
Não te entendes dos homens insensíveis -
e como isso me é dor!
Não te entendes das ilusões e das máscaras,
porque em ti não há máscaras. Eu sei...
Mas te busco,
mesmo em nefasta aventura
de não poder com tua fuga.
Mas eu te burlo em não fraudar-te
em enganos nem furtos.
A ninguém é dado o direito do surrupio de sentimentos.
E teu sentimento é rio, e nele as gralhas
dançam em veneração.
Olhe, querida, olhe o alto moinho a rodar
a hélice do tempo e espera,
calmamente, como quem espera o fim
do imorredouro estio,
que o vento, esse deus de forças e magias,
renderá os devidos votos de alegria
e correspondência de que tanto mereces.

Mas, por enquanto, fica comigo.
Fica no meu poema inscrito no ângulo da luz,
que ele necessita do teu arcano para iluminar!
Fica! E não te vais em lâmpadas
a deixar-me no escuro dos sentidos.
Fica, querida, que ainda há homens
em contemplação eterna do que é impulso;
que ainda há homens
que te beberão em seca sede o futuro
de tuas acéquias, de tuas ilhargas
e de teus morangos.

Caminha o lume de cada elaboração
divinamente quista, que teu barco sôfrego de mulher
que me apareces não tombará em desnavios.
Peço que venhas pois, nas noites de doentes frios,
guiar-te-ei em amavios.

3 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"disconnection by ~GZB"
Deviantart

Cris Campos disse...

Tola ela é, se não correr solta feito brisa nesse tapete lindo que estendestes. Primoroso G.! Gr. Bj.!

Daniela Delias disse...

Este ainda não havia lido...

Tão bonito.

Beijo, G.