terça-feira, 15 de janeiro de 2013

O coração da estrada


Por Germano Xavier


o coração da estrada
está na hora marcada para desmarcar
o tempo para desmascarar
a espera pela partida e pela chegada
está como uma pedra o coração
duro em ser aquilo só
um pulso louco espocando idas
escorando vidas escorregadias
escorregando como num córrego
o homem criado com pernas
preso no destino
no vazio que tem os destinos
no não sabido

é o coração da estrada que há em nossos pés
látegos plangentes placas absolutas de se quilometrar
andanças e perdições (orgasmo-passos)

numa encruzilhada está o coração da estrada
aos mansos fôlegos de quem ainda respira
arfando bufando pois sedento é o que trazemos
no peito na memória nessa toda e patológica vida quente
de perambular errante errando
errando errando
errando

tum-tum



Está aberta a temporada 2013 do blog O EQUADOR DAS COISAS!
Sejam muito bem-vindos, bucaneiros!

3 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

Deviantart

Arco-Íris de Frida disse...

De coraçoes que querem estrada nos ciganos entendemos...

Iara disse...

Ave, Germano!