sábado, 19 de janeiro de 2013

Apontamentos sobre a revista Realidade


Por Germano Xavier


* A revista Realidade foi fundada em abril de 1966 por Victor Civita. Sua circulação foi findada no ano de 1976, exatamente 10 anos após a publicação da 1ª edição (1º exemplar). Durante seus 10 anos de vida, a Realidade foi contemplada com 8 prêmios Esso de jornalismo.

* No total, foram publicados 120 números da revista.

* A sua periodicidade era mensal.

* As primeiras edições de Realidade constituíram-se em preocupações constantes para a censura. A prova disso foi o corte da censura para com a edição nº 10, de janeiro de 1967, que publicou diversos artigos e fotografias sobre as condições e mudanças sociais da mulher brasileira.

* A Realidade seguiu uma orientação jornalística que desafiava constantemente as ameaças de censura.

* Informou e retratou as transformações do Brasil e do mundo.

* Publicou reportagens com os Hippies, com Vietcongs, assim como matérias com Carlos Lacerda e Luís Carlos Prestes. Relatou sobre a UNE e também publicou trechos dos diários de Ernesto Che Guevara.

* Uma questão importante da filosofia jornalística da Realidade era a de que os seus jornalistas/repórteres tinham de ir até onde os acontecimentos estavam ocorrendo, e isso era seguido à risca.

* Destaca-se aí a reportagem de Hamilton Ribeiro sobre a Guerra do Vietnã. Durante a sua cobertura, houve a explosão de uma mina terrestre, o que fez com que ele perdesse a perna esquerda.

* Logo em 1968, a Realidade foi perdendo o seu caráter polêmico e reflexivo, devido principalmente à implantação do AI-5 e também por causa do lançamento da revista semanal Veja - lançada em setembro de 1968 e mais adequada aos limites do jornalismo permitido pelo regime militar -, o que promoveu modificações fortíssimas tanto no conteúdo quanto na fisionomia da revista.

* Entre 1966 e 1968, as reportagens que Realidade publicou foram marcadas pela variedade temática e pela presença de personalidades da época.

* A revista Realidade tentou desnudar o conservadorismo, avançando sobre temas que não eram discutidos e também sobre aqueles que eram discutidos de forma bastante tímida por outras publicações.

* Temas como mulher, juventude, sexo, religião, igreja, ciência, medicina, mídia e consumo foram bastante discutidos em suas páginas.

* A Realidade tornou-se uma espécie de pólo-gerador de polêmicas e inquietações socioculturais para a sociedade brasileira.

* O gênero textual jornalístico conhecido como Grande-Reportagem, influência marcante do movimento New Journalism (Novo Jornalismo) norte-americano, foi bastante praticado pelos repórteres de Realidade, e isto lhe era um diferencial frente às outras revistas da época.

2 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"http://bimg1.mlstatic.com/revista-realidade-abril-1968-cubalacerdajohsontransplant_MLB-F-224863746_7890.jpg"

Cris Campos disse...

Tenho comigo o sentimento de que todo jornalismo puro quase sempre sucumbe aos padrões dominantes. Lamentável isso porque ter um veículo confiável hoje em dia é raro. Gr. Bj.!