segunda-feira, 2 de julho de 2012

Monumentos da doença



Por Germano Xavier

E nem o brusco movimento articulado de suas largas
compressões endurecidas

pelas linhas cartográficas
cegas, largadas ao deserto, mentiria nossa ira afiada
por esta estrada de túneis e de amarras ao nada.

Giram em forças que desatam laços os densos lençóis de aço das águas,
ou as léguas da língua,
pegadas da pedra fundamental do destino e dos partos.

A mirada espelhar das vestes da lembrança
tortura.

E se não se fartar em tanto, feriremo-nos dentro do que não há
porque na secura nosso peso envergaria mais que o suportável
do corpo,

(eis o complexo do todo)

mais do que nossa comum e avessa mandíbula humana
aguentaria. Porque não somos homens imortais,
assim
de restrito retrato
ou memórias manchadas a sangue.

Dos nossos restos um composto de matéria pode imperar.
De nossas galáxias um dejeto ou uma idéia.
(E quando blindamos os nossos fantasmas?)

E quando no nada o nada em que nos transformamos
vira ânsia ao redor do nada que não concentramos?

Não iremos embarcar numa teia de aventuras,
tampouco cairemos céticos no exótico limite das correntes?
A calda remanescente das lamas esporais

tende – não é certo -,
a afundar os monstros de qualquer esgoto.
Ademais é abandono.

8 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Human labyrinths ...
by ~tuminka"
Deviantart

CARLA STOPA disse...

Amo o implícito...As entrelinhas...Nada de óbvio...Delícia de espaço! Depois passa no Escrevência.

Danilo Sergio Pallar Lemos disse...

Excelente cronoca. Harmoniosa e realista.
www.vivendoteologia.blogspot.com

Juliêta Barbosa disse...

Estive aqui por indicação do blog da Ana. Voltarei com mais tempo para ler os seus textos com o respeito que eles merecem. Bjs

Rebeca dos Anjos disse...

Surpreendente é esta complexidade resumida em dor, tão particular, falar tão perfeitamente com mais gente.

E brilhantemente.

Beijos.

Controvento-desinventora disse...

O doer da dor.

Daniela Delias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PERSEVERÂNÇA disse...

Deixo um abraço fraternal acompanhado de muita inspiração.
Que você tenha um lindo domingo, amado.
Bj
Nicinha