domingo, 1 de julho de 2012

Algumas perturbações poéticas


 Por Germano Xavier

• A poesia é o resultado de um ato criador individual que tem base na tradição poética e na língua empregada para a comunicação geral em cada época? 

• É mais antiga que a prosa? 

• A poesia já foi tudo? 

• Poesia é a arte da palavra manifestada numa linguagem em que a sonoridade e o ritmo predominam sobre o conteúdo? 

• Lirismo só diz respeito à evocação de sentimentos subjetivos? 

• O verso carrega em si as características mais tradicionais da linguagem poética? 

• Não se pode alterar a forma do poema, já que é isso o que há de mais importante nele? 

• Qual é mesmo a diferença entre Língua Natural e Código Estético? 

• Verso + Repetição= Destacamento? 

• Para que serve mesmo a aliteração? 

• Pés são unidades rítmicas formadas por uma sucessão determinada de sílabas longas e breves? 

• Se eu inverter a ordem direta das palavras estarei cometendo um hipérbato? 

• As metáfora e as metonímias realmente permitem mudar ou transfigurar o significado de uma palavra? 

• Na poesia é sempre preciso produzir um efeito de distanciamento? 

• Quem garante que o epíteto designa algo ou alguém? 

• A poesia tem de ser um ato inconsciente? 

• Poesia tem mesmo gêneros e formas? 

• Todo poeta tem de escrever seu epitáfio? 

• Quem me garante que Petrarca existiu? 

• Aliás, o que é existir?

9 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Remember to forget by ~Healzo"
Deviantart

Cristiano Marcell disse...

Perguntas muito pertinentes, prezado amigo, contudo parecem induzir à mais outras tantas indagações do que respostas! Belo escrito!

Muita paz!

Jacqueline disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Controvento-desinventora disse...

Perturbações poéticas sempre existirão, pois há um ser mais pertubador e perturbado que o poeta?
O poeta é o condutor da problematização, pois tem alma de artista, porque é livre. Livre prá poder olhar e ver e dar olhos.

PERSEVERÂNÇA disse...

Passando para deixar um beijinho poeticamente cheio de luz.
Bj

Amanda Andrade disse...

Como está filosófico nesse post meu lindo. Perguntas muito boas. A ultima então... O que é existir? Para cada um a sua existência é diferente. Mas qual seria o existir de um ponto comum, acho que tanto faz. Não tem como saber se realmente existimos ou vivemos de uma certa forma. Basta torcer para as coisas ficarem bem.

Beijos e abraços.

A Sonhadora.

Anônimo disse...

O poeta é o engenheiro da alma!
Bjs!

Júllio Machado disse...

Isso dá um belo fórum de discussão pra quem deseja ser de fato um expertise em literatura.( campo que te pertence, né poeta?)
Pois é, desta feita , sintetizo minha participação com uma frase que li recentemente no curso de LIBRAS: " As combinações de sons e significados são arbitrárias e nem sempre necessárias."
Abraços!

Bruna dos Anjos disse...

Oi gostei daqui
to seguindo :D

Se gostar segue tbm
http://enredodeideias.blogspot.com.br/

Beijos