terça-feira, 9 de julho de 2013

José dos livros


Por Germano Xavier

para o Sr. José Mindlin,
in memoriam.

o livro nasce do olho,
nasce da hora das mãos,
apenas nasce - e se não,
continua livro.

todo livro é um manual d’estrelas,
um forte contra um fraco,
um corpo nu vestido.

quando um livro nasce,
um olhar convoca a morte para um
conversar de acmes e essências.

o livro, se nasce, faz um homem.
e se um homem de livros desnasce
é porque todo livro é livre.

3 comentários:

Roberta Mendes disse...

De muito amar livros:

http://www.tremaliteratura.com/2011/09/literatriptico.html

thali* disse...

Nada melhor como o cheiro de um livro novo nas mãos.

LIV disse...

SE O MUNDO ACABAR, É NOS LIVROS QUE VAMOS ENCONTRAR TODA A NOSSA HISTÓRIA.MUITO BEM LEMBRANDO NESTE POEMA.LIV