domingo, 25 de agosto de 2013

Poema para a mãe

Imagem: Deviantart
Por Germano Xavier

com palavras aproveitadas de Iara Fernandes,
para minha mãe


como você, podem até se abater
por conta de doenças, mas não se entregam.
possuímos músculos-coração que não batem à toa
e se recuperam fácil, como todo o resto da estrutura.
apesar dos pesares mais pesarosos,
eu vejo que me amas e tu vês isso em mim?

2 comentários:

Iara disse...

Mães vêem... e pesares não pesam em corações de paredes onde se pode encostar sem susto. O veludo delas é grosso e acaricia, que nem soprinho no joelho esfolado... lembra?

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Mãe é mãe e nenhuma outra palavra substitui a palavra MÃE