quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Caturrices para Greta Benitez






Por Germano Xavier

I

A jamanta atropelou
meu coração.
Sim, moça,
eu te namoro.
Sei trocar lâmpadas,
fazer poemas,
ler em voz...
Sou fã de radinhos de pilha.
Mas antes vejamos
o caso
desta ferida aberta.


II

Sou o que colho
o que olho.
Sou o que molho
o que colho.


III

Dentro da única
janela acesa
na cidade em madrugada,
a menina pensa
sobre a validade
das utopias.


IV

Depois que a noite
invadiu meu dia,
soube de Aladim.


V

Filho com síndrome de. Síndica fofoqueira. Quebranto de negra. Rasga-mortalha. Livro grosso. Puta doente. Desassalariados bebuns. Praia com chuva. Não muda nada. Ninguém ainda se atreve.

2 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"i remember by *karil"
Deviantart

Talita Prates disse...

Muito bom, particularmente o III.

Abraço,

Talita
História da minha alma