segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

1000 textos n’O Equador das Coisas!


Saudações, caros bucaneiros e leitores!

São incompletos 5 anos de existência, e o EQUADOR DAS COISAS já comemora seus 1000 primeiros textos publicados no ciberespaço. A história deste blog começou durante uma aula da disciplina Programas e Ferramentas II no curso de Comunicação Social/Jornalismo em Multimeios da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) que eu até então fazia, em meados de 2007. A professora Jussara Moreira, depois de explanar um pouco do seu conhecimento acerca da linguagem HTML para produção de sites pessoais e outros projetos de cunho cibernético, levou-nos a conhecer uma ferramenta que, para mim, ainda era uma incógnita: o Blog (ou blogue, como preferir). Lembro que ela havia indicado alguns sites onde poderíamos escolher a plataforma que mais agradasse nosso gosto e, ainda sem nenhum conhecimento de causa, entrei na ferramenta que o portal UOL disponibilizava à época. De pronto, achei tudo muito simples e funcional. Uma espécie de caderno virtual, de diário, de pasta, um portfólio, "mas que coisa boa!", pensei. E assim se deu o meu primeiro contato expressivo com esta ferramenta informática. Houve a luz, diria o outro. E sem muito pestanejar, fui logo criando o meu próprio espaço na blogosfera. PAROLAS DE UM SUJEITO QUEDO foi o título que dei ao meu primeiro esforço bloguístico e foi parido em 09 de julho de 2007. Lá, e aos poucos, fui colocando alguns velhos textos que eu tinha guardados e também escrevendo coisas novas. Como nestes idos ainda não possuía computador em casa, reservava alguns momentos quando me encontrava no laboratório de informática da faculdade para postá-los. No PAROLAS DE UM SUJEITO QUEDO, a série de textos do “Sonhador Gervixa” foi, talvez, o maior destaque. Com cerca de 20 capítulos publicados, foi através deste personagem, um sujeito que se dizia não ser deste planeta devido a sua extravagante repulsa por todas as más ações humanas, que os primeiros leitores – geralmente meus próprios colegas de Jornalismo e outros poucos amigos - foram se acercando de minha produção textual, conquistando assim paulatinamente o que posso chamar de credibilidade e por que não dizer fidelidade no meio. Depois de algum tempo, burilando na internet, achei de investigar a plataforma BLOGGER. Percebi que nesta havia mais instrumentos de editoração e diagramação, além de que as interfaces eram muito mais convidativas que as do UOL. Destarte, abandonei o PAROLAS DE UM SUJEITO QUEDO e criei em 12 de novembro de 2007 meu segundo blog, agora intitulado A AUTO-ESTRADA DO SUL, por influência direta da leitura do livro de contos "Todos os fogos, o fogo", do escritor belga-argentino Julio Cortázar que andava a realizar naqueles dias. Transferi, ao passar dos dias, todos os textos que havia publicado no PAROLAS DE UM SUJEITO QUEDO para o novíssimo e empolgante – pelo menos para mim - A AUTO-ESTRADA DO SUL e, de modo bastante paciente, fui colocando mais um montante de produções textuais de minha autoria, assim como algumas colaborações que recebia de amigos, sempre com a preocupação de devidamente analisar se os mesmos se alocavam bem aos propósitos do blog. Com minha entrada no universo “BLOGSPOT”, percebi que o mergulho constante no blog - um saudável vício, penso - estava despontando em mim como um local de construção de saber e de possibilidades de diálogo acerca das incontáveis formas de conhecimento nunca antes imaginadas, cuja responsabilidade para com o que ali estaria exposto aumentava em progressão geométrica, o que muito me agradava. Alguns meses transcorridos optei por mudar apenas a titulação do blog, que agora passaria a receber o nome do meu primeiro livro de poemas, publicado no ano de 2006 pela Editora Franciscana, com sede na cidade pernambucana de Petrolina. Era o nascimento do blog CLUBE DE CARTEADO, nomenclatura que permaneceu até bem pouco tempo, mas que por problemas de ordem estrutural tive de deixá-lo para trás. O CLUBE DE CARTEADO foi quem guardou a maior parte dos textos que eu havia escrito ao longo dos anos, desde poemas e contos, passando por crônicas e resenhas de todos os tipos, até projetos de pesquisa mais apurados e artigos científicos, sendo também, tenho quase certeza, o primeiro blog a ter (ou a querer ter) a figura de um ombudsman – experiência que infelizmente não vingou. No total, foram exatos 821 textos/postagens publicados em seu espaço, registrando no período de pouco mais de um ano cerca de 30 mil visitas reais e algumas centenas de comentários e participações várias. Depois de visualizado o problema em sua configuração, a construção de um blog totalmente novo foi a alternativa mais viável para dar seguimento a minha relação com esta significante parcela do mundo virtual. Foi aí que O EQUADOR DAS COISAS veio à superfície do ciberespaço. Com ajuda de pessoas mais entendidas neste universo da informática, selecionei um template que trouxesse um pouco da carga dramática que o título requeria, e logo foi feito a transferência de todos os textos que estavam no CLUBE DE CARTEADO para o arquivo do novo blog. O primeiro texto originalmente escrito para O EQUADOR DAS COISAS data de 23 de julho de 2009. Daí por diante, outros inúmeros textos foram publicados até o presente dia – só para constar, já passamos da considerável marca das mil publicações/postagens. Fazendo os cálculos, a média ultrapassa 1 texto publicado por dia. Como se números fossem importantes, não é mesmo?! Tantos números assim soam como um discurso contraditório até para mim, que sou daqueles que têm mais medo de um sujeito que escreveu um livro em toda uma vida àquele que escreve meia dúzia de títulos em cinco anos – se formos vasculhar, exemplos não faltam. Recentemente o EQUADOR DAS COISAS passou por uma reforma, tanto na estética quanto em seu conteúdo. Agora o template é em estilo mosaico, bem mais atual e ao mesmo tempo diferente, onde na página principal só aparecem as imagens vinculadas aos textos, cabendo ao leitor clicar em cima do título das postagens para poder lê-los. O arquivo do blog agora conta apenas com as 18 postagens mais recentes. A decisão foi tomada por me achar no direito de resguardar mais o que escrevo, haja vista que exposição exagerada também não cai lá muito bem. E como você vê, amigo leitor, hoje já está tudo diferente do que era antes. Tudo muda o tempo todo, não? Hoje, dia 12 de dezembro de 2011, o blog é completamente outro e quem o acessar tirará logo suas conclusões. Aí você me pergunta quando vou parar com tudo isso, e eu respondo que nunca. Cada vez que penso em desistir do blog, mais certo fico de que sem esta ferramenta, exemplo de expressão libertária e democrática, mesmo que virtualizada, fica mais pesada e difícil a balada das horas do meu dia. A vocês, leitores e leitoras, meu muito obrigado por ajudar na edificação e na concretagem deste real espaço de troca de experiências e saberes. Vocês são peças fundantes em toda esta ladainha. Recebam um abraço-amigo-imenso deste Germano que vos fala agora, exímio aprendedor de coisas. E para não dizer que não falei das flores, sim... continuemos, bucaneiros! – até porque o mar, o mar!, o mar quase nunca está para peixes...

5 comentários:

Dani Gama disse...

Parabéns, Germano! Viva os que apreciam a boa literatura feita por você. Viva você que a faz para si mesmo e para nós! Sucesso, meu poeta preferido!

Júlio Machado disse...

Caro Germano,
é muito bom saber que você não tem a intenção de parar com esses textos fabulosos que nos presenteia e nos faz refletir ecleticamente. (movimento primeiro mandamento)
Parabéns, e obrigado por manter esse espaço que é um dos melhores que conheço. Teus textos, verdadeiramente, têm propriedade literária. E para você, acima de tudo, creio que é um excelente exercício, em vários aspectos.
Um forte abraço.
Que continues firme, nos brindando com seus fabulosos conteúdos.
Um forte abraço! (De quem de "persegue" a pouco tempo, mais imagina a vastidão da tua completude)

Controvento-desinventora disse...

Obrigada, pela sua poesia diária, seu talento compartilhado, com quem aprecia o que há de melhor, nesse Equador de coisas.
Parabéns, pela história desse blog-você!

Lisa Alves disse...

Carissimo, uma vez que você posta um texto, não há mais chances de parar. Pelo menos foi assim comigo, desde 2003 quando iniciei na blogosfera com o Metamorfose de Monstros que era um blogger no site da globo e que perdi a conta, a senha e o direito de postar em 2009 quando obrigatoriamente migrei para o blogspot. Parabéns pelo Equador e pelas anteriores "linhas".

Letícia Palmeira disse...

Eu não consigo tal proeza. Não conto o que já escrevi. Nem sei por onde começar. Nem sei quando comecei. Já perdi tanta coisa. Mas te parabenizo. É preciso coragem (além de talento) para continuar escrevendo. E você tem (aos montes).