sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Duchamp não vence Beuys


Por Germano Xavier

quebra o pote
o lote aberto do dia vivido
e prega na parede dum museu
que tudo é todo
mundo pode
todos nós somos artistas
habilite-se vivendo a si
de si e sobre
mesmo dentro ou fora
para dentro ou para fora
pára fora ou pára dentro
comunicar é fascinar-se
e um pote no chão não é
apenas
à duras penas um pote no chão
é antes a consagração do signo
a criação
mas primeiro quebra o pote
a ordem da forma
lunar
quebra o pote, quebra o pote
empenhado no escuro indiscernível
pois é indo e vindo
ao pote
que o caco adere ao outro caco
e toda criação vira destruição

2 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"A Duchamp
by ~Stereominate"
DEviantart

Andressa disse...

O caco adere ao outro caco e toda criação vira destruição. Gostei muito.