sábado, 18 de agosto de 2012

O cocadeiro de Lençóis


Por Germano Xavier

o cocadeiro dobra a rua estreita
sobe quente a ladeira fria
de vasilha colorida no ombro
vai cantando sua teimosia

cocada branca e cocada preta
doce salgado de mel doído
come a moça sem país e diz
"que deliciúra, seu da cocada!"

em toda esquina um grito rompe
"olha a cocada, olha a cocada!"
gente sem doce compra da janela
gente amarga vê de longe o naco

diamante da tarde de Lençóis
é a cocada do cristal granulado
faz romaria o homem em venda
dá um nó a garganta nua

"eu quero cocada, cocada eu quero"
pois lá vem vindo o cocadeiro
"separa o dinheiro, separa o dinheiro"
ele vem vindo e seja bem-vindo

4 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"http://lencois.files.wordpress.com/2008/08/lencois11.jpg"
Google

PERSEVERÂNÇA disse...

Me deu vontade agora!!! da branca ou da de sabores, sempre uma cocada vai bem.
Então com gostinho de coco branco um beijinho pra vc.
Nicinha

Caroline Godtbil disse...

Ui! que coisa boa que é cocada... cocada com poesia... Quer mais?
Ainda tem foto de pracinha!
Beijo.

Daniela Delias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.