quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Romeu amando amar de amor



 Por Germano Xavier

começo assim tenho pouco mas tenho muito porque muito é meu desejo e muito é meu coração que ama e hoje você me provou que o amor é possível e que a matéria de amar é o fogo que arde de dentro do poema você me disse muito sem dizer quase palavra lilith e isso é muito e o pouco seu é tão grande que me faz também enorme e me faz querer-te tanto e dizer que minha vida precisa de você para ser ela deveras vida meu amor eu te amo não é clichê uso honro presentes faço por merecer rubis quero dizer que você é linda uma mulher maravilhosamente bela dentro e fora espelho e luz âncora e cais belvedere meu frio se fez calor cessou o estio nevou derreteu fui vulcão ativo ávido explodi teu violão a sonata que fizestes para mim meu mergulho maior e o gosto do teu seio teu mamilo de mulher tuas tetas de fêmea eu necessitando de tua queimadura ardendo fumegando crepitando tilintando o maciço da madeira nobre em mim meu deus príapo surgindo erguendo-se no meio de minhas pernas a edificação do amor da paixão do evento do fenômeno da existência tuas ancas doces pétalas brancas tuas pintas tuas marcas tuas curvas teus desvios meus atalhos teu rosto trôpego claudicando e o veneno de tua víbora me matando aos poucos me perfurando e eu sendo a tua mão o teu dedo o teu artelho na altura de tua boceta gostosa rosa cheia lua cheia e deliciosa óleo azeite mel de mulher minha bambina fina alva barda aeda poeta de amar amor de mim sou teu homem menino estudante criança pra você dengar fazer carinho matar de amar deitar e rolar me dar o amor do teu olhar do teu cabelo caído na altura das bochechas da testa de mulher de verdade aquela que sempre quis nasce agora em mim me enfeitiça me faz destino e me abre as pernas que eu ponho meu pau dentro do corpo de tua humanidade e te como porque farei tudo que for possível e impossível pra te olhar no olho e dizer do meu encanto e de como foi lindo ter te conhecido e ter te bebido em sempre e sempre aos goles entorpecidos e entorpecentes inocentes mentes em frenesi contentes novas viagens e um roteiro novo também a ser desbravado por quem tanto ama a descoberta de uma nova estrada itinerário de amar meu livro preferido de ler e riscar e fazer análise de discurso e sentir e tocar o corpo de tua alma e a alma de teu corpo

preciso urgentemente fazer amor contigo lilith porque a vida nos espera a razão da própria vida e serei sempre teu no momento que quiser e me precisar enfrento a razão pra te encontrar no galpão de tua criatura e não de tua caricatura não sou penacho não sou pelúcia sou fescenino amante total também a vida é pássaro passa veloz e só vive aquele que é livre e que golpeia as prisões e a vida é mais que qualquer coisa anelar rotunda e roliça quero amar de mar não de brisa quero pá pra cavar a areia movediça e enterrar o sal da saudade e da vontade reprimida os grandes homens e mulheres foram homens e mulheres gozaram da plenitude da liberdade e não se castraram por idiotices nem controles nem ordens nem panópticos já somos grandes demais para sabermos viver com a mão que temos e com o suor de nossas amplificações te espero na cama alcova quarto abrigo aposento aconchego luz metade difusa luz diurna não noturna penumbra eu te abraço braço brado eu te beijo feito um cristal quebrado em estilhaços em pedaços pra você me juntar quebra-cabeça que sou eu te cubro rubro contra o frio e seremos nossos próprios professores mestres doutores sem lucidez loucos amadores em amavios equador de nós mesmos prosa poesia meu gatilho minha mulher minha mulher minha menina minha menina minha bambina minha bambina minha mulher minha mulher fêmea feminina fêmea feminina

acredite que amo e me dê a chave me dê a chave por favor por favor

5 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Painting texture I by ~Gabalina"
Deviantart

REBELDE disse...

Simplesmente...Lindo!

Ira Buscacio disse...

Romeu sem morte quero a sorte de viver.

Avassalador!!!!!!!!!!!!!!!!

Bjs de saudade não pequena

Yvana disse...

Hum as mulheres do mundo esta precisando de uma declaração de amor dessa, muito lindo, depoimento de um homem (H) despindo seu amor ardente para sua amada. Genial

Tiago do Valle disse...

Há algo muito além da pulsação frenética... Além do galanteio, além da entrega, além amor, além do bem e do mal. Tem a ver com o espírito de vanguarda, com anarquia - no melhor sentido da palavra. Genial. Achei genial.