quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Parca radiografia do imaginário


 Por Germano Xavier

o sujeito cognoscente. o objeto.
o sujeito que quer conhecer. o objeto.
a ser conhecido... se apresentam de frente,
orgânicos e sensitivos.

todo o processo

pelo qual o sujeito se coloca no mundo.
o conceito do ser, a teoria do ser.
filosófico-popular-religioso-científico.

eu venho do que é falível, do ametódico acaso,
do inexato e do laborial dia-a-dia.
(devo ser produzido no dia-a-dia, suspeito).
não possuo manual.

interrogo contínuo questionário.

minha realidade de si. nossa fantasia de mim.
hipóteses. usos da razão.
como conhecimento sistemático do mundo,
como obra de um criador divino se toda revelação é demonológica?

minhas evidências não são verificáveis a olho nu.
(pobre do que aceita esta visão tão parca).
que me perdoem os inventores de luneta.
em mim está sempre implícito uma atitude de fé
perante um conhecimento desvelado.

exijo teste. não sou definitivo. sou antes minha escolha.
absoluta ou afinal. ou o aproximadamente.
básico. aplicado. meu rosto é uma reta

progressiva, uma experimentação algébrico-alquímica,
domínio de quem.

toda a minha parcela leiga
concebe respostas.

ando conhecendo as coisas através de previsões.
por enquanto sempre erro se vai ser chuva.
sem o cálculo, sem o acerto, crio mitos.
e isso é todo dia e eu preciso me analisar.

2 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

".otzd.
by ~TOK5"
Deviantart

Janinha disse...

Olá linda postagem gostei daki e to fikando...Espero q vc tbm curta meu pekeno grande mundo...Bju