sexta-feira, 24 de agosto de 2012

A pedra do núcleo



 Por Germano Xavier

invadir a célula da pedra e viver
a vida inexistente da essência morta
que é a pedra; ser feito da viva parte
da pedra e não morrer, porque pedra
e não vida. ser a vida da pedra e a morte
da pedra, para imorríveis sermos.

perfurar a pedra obesa e encontrar
o imorrível da pedra, tua natureza dura:
tão mole. tocar a morte da pedra tocando
a vida sem morte do que na pedra é móvel,
sentir o frio que é da pedra no calor da pele;

te ausentar na hora da explosão e da ruína,
não por medo da morte ou da cegueira,
mas por ser o caco da pedra, duro e imorrível,
no invadir da célula de outra viva pedra.

2 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"pedra
by ~claravenus"
Deviantart

Hugo de Oliveira disse...

É bom demais, passar por aqui e ver seus escritos encantados e inteligentes.

abraços