quinta-feira, 24 de maio de 2012

Deimos e Fobos


Por Germano Xavier 

(medo e terror) 

as duas luas de Marte
acenderão a penumbra
a luz morta
no vestíbulo de andar

(meu colega de profecias
me disse que o trem
já não passa mais sobre a grama verde da Fantasia)

não vai o homem
ser o que poderia ter sido? -
a árvore do sertão,
a última flor celestial

trombetas, Deus, amor, torres
- para onde tudo, para quando nada?
você tem mesmo certeza de que esta paz
não abre ferida de vida?

as duas luas de Marte
descerão sobre a Terra e cegarão os homens
já cegos e dar-lhes-ão outros olhos:
olhos de não ver ninguém

8 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Nine Spheres to the Forestby *JoeMacGown"
Deviantart

PERSEVERÂNÇA disse...

A postagem é para refletir intensamente.
Bjs

Amanda Andrade disse...

Palavras bem diferentes que te levam a pensar muito ...
Beijos e abraços lindo.

Franciéle Machado disse...

Sinto e percebo que seu poema vai além da breve leitura, traz até um intensa reflexão...Senti-me assim imóvel diante da profundidade das palavras. Ainda que simples, trazem em si a riqueza poética! Muito Bom mesmo *___*

Abraços poeta e boa Noite.

Marly Bastos disse...

Fico pensando se essas duas luas ja não desceram, pois os homens andam cegos, não percebem seus semelhantes, não conseguem discernir o homem do bicho e misericordia, compaixão e amor, já está sumindo do vocabulário. E o amor pela planeta onde esta?
Tem certeza que essa profecia já nao se cumpriu?
beijokas doces e um belo poema, numa mistura de crença e descrença.

Poetisa da Paz disse...

Olá Germano!Penso que a humanidade caminha mesmo para a cegueira e em trevas permanecer...pois há muito ja não se olha para o lado. Um poema profundamente reflexivo. Este blog é divino, e seus pensares uma rica seiva a alimentar-nos com seus textos.

Jacqueline disse...

...não vai o homem
ser o que poderia ter sido? -
a árvore do sertão,
a última flor celestial...

Numa interpretação positiva, eu te trago a flor que você me deu. Para pretexto de tê-la de suas mãos de novo.

Controvento-desinventora disse...

A cegueira do "ver ninguém", nos faz olhar pra dentro...as luas de Marte etão nos nossos extremos.Quiça, o duplo eclipse de junção lunar, faça-nos olhar a lua de Vênus que rejeitamos.